Qual a diferença entre Arquiteto e Engenheiro?

A dúvida sobre o que faz o arquiteto e o engenheiro e o que os difere sempre esteve presente, hoje, na área de edificações, não há distinções, ambos podem projetar, calcular e se responsabilizar por projetos e obras.

O que faz um Arquiteto ? Começando pelo arquiteto, é ele quem vai elaborar o projeto, que é onde tudo começa. É o profissional que tem contato direto com o cliente, precisando entender e captar as preferências, o seu modo de vida. Tudo é levado em conta para garantir conforto do cliente, pois quando se trata de uma casa, estamos lidando não apenas com a moradia da pessoa, mas o seu grande sonho. No projeto arquitetônico é que será definido o aproveitamento dos espaços, paisagismo e design, onde irão surgir as maquetes eletrônicas e o cliente poderá ter a leitura do que está por vir. No projeto são realizadas muitas pesquisas e, dentre elas, temos o estudo dos ventos para garantir a ventilação dos ambientes, bem como o estudo solar, para obter conforto térmico. Mas todo esse trabalho deve ser realizado dentro das normas e respeitando a legislação.

O que faz um Engenheiro? O engenheiro é o profissional que irá cuidar da parte estrutural, responsável pelos projetos chamados complementares, analisando as características do solo e forças que a construção estará sujeita, desenvolvendo fundações, estrutura, instalações hidráulicas e de gás. Ele decide os melhores materiais e técnicas a serem empregados na construção e cuida para que tudo seja executado conforme exigência das normas, zela pela qualidade dos materiais que estão sendo utilizados, garantindo qualidade, estabilidade e segurança. Na área da construção civil ambos podem projetar, calcular e se responsabilizar por projetos e obras.

Arquitetos e Engenheiros eram registrados em somente um conselho CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia), depois de muitos anos de luta dos arquitetos enfim foi criado o CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil), de acordo com a Lei nº 12.378, de 31 de dezembro de 2010. Com o conselho separado traz para a sociedade a garantia de ter a prestação de um serviço de um profissional devidamente habilitado.